Como calcular o valor do seguro para automóvel

Depois de comprado o carro, é hora de investir na segurança dele. Construir uma área, revisar os pneus, estar atento(a) ao óleo e à água são excelentes maneiras de garantir que a vida útil do veículo se estenda, mas além disso, é sempre bom pensar com carinho no seguro, que evita que o carro fique “a Deus dará” durante o dia, ou durante a noite.

O seguro de automóvel é velho conhecido do brasileiro que gosta de carro, por isso, sempre há especulações entre os amigos e familiares sobre o valor pago anualmente pela proteção extra. Apesar de o papo ao redor do assunto ser bom, vez ou outra surgem dúvidas e discussões saudáveis, já que veículos comercializados a preços bem parecidos podem ter valores de seguro totalmente diferentes, o que deixa aquela “pulga atrás da orelha” de quem paga mais.

Pensando nisso, e querendo ajudar você a compreender melhor o valor pago atualmente ou o valor que será pago num futuro próximo, nós da Visafran preparamos este artigo, que vai nortear seus pensamentos e contribuir para que você e a sua família estejam mais certos sobre o que estão contratando antes de assinar os papéis.

Antes de falar diretamente sobre os fatores ao redor do seguro, vamos dar aquela resumida no assunto, assim, se você for iniciante no mundo dos seguros, não vai se sentir perdido(a) durante a leitura.

Um seguro automotivo é um contrato que garante ao segurado (você) assistência por parte do segurador (a seguradora que te atende) caso haja algum sinistro, podendo ser este um furto, roubo, batida, pneu furado e muitas outras opções, a depender do que o seu contrato prevê.

O valor do automóvel é sempre um fator de grande importância para o cálculo, porém, ele não é o único. Além da porcentagem sobre o preço do veículo, o valor a ser cobrado pelo seguro está infimamente atrelado aos riscos que cercam o automóvel a ser segurado. Por esta razão, os questionários a ser respondidos são extensos, já que as seguradoras fazem um cruzamento entre estatísticas de trânsito e também dados internos da empresa de seguros, e as informações fornecidas por meio das respostas.

A informações ao redor dos acontecimentos envolvendo os veículos são apuradas mensalmente pelas seguradoras, de maneira que em uma seguradora pode haver um número de Honda Civics roubados muito superior ao número de Gols, enquanto que em outra empresa, o cenário pode ser totalmente contrário. Por isso, peça ao seu corretor ou corretora que busque informações no maior número de seguradoras possíveis, assim, você terá muitas mais opções de valor.

Além destas variações, há as projeções ao redor do modelo do veículo. O valor do seguro dependerá também do número de sinistros registrados envolvendo carros de mesmo modelo e segmento que o seu. É por essa razão que automóveis recém-lançados podem sofrer grande variação de valor de um ano para outro, já que o primeiro valor cobrado parte de uma análise sobre carros semelhantes, e só depois de um ano é possível realmente identificar os preços a serem cobrados sobre o modelo, pois a partir desta data, as seguradoras terão uma base de dados confiável para usar na precificação.

A história de que “o seguro para mulheres é mais barato” se popularizou, já que não deixa de ser uma verdade, porém, o que muitas vezes não é dito é que homens em idade jovem se envolvem em mais acidentes de trânsito que mulheres da mesma idade, por essa razão o valor dos seguros apresenta diferença.

Os condutores mais jovens estão sujeitos a valores mais altos, já que os riscos os envolvendo são muito maiores que os riscos ao redor de uma pessoa com mais de 50 anos. Porém, havendo um condutor secundário mais jovem – no caso de seguro para carros de pessoas mais velhas – o valor sofrerá alteração, já que a pessoa mais jovem é propensa a eventuais acidentes.

Outro fator interessante na conta é o casamento. Estatisticamente pessoas casadas se envolvem em menos acidentes que as solteiras, por isso, não esqueça de deixar bem claro que já se casou na hora de realizar a cotação.

Mas independente de qualquer fator, uma coisa é certa: faça seu seguro automotivo, mas não deixe de prezar por sua vida e pelas vidas das demais pessoas. Dirija com segurança, pensando que alguém espera a sua chegada, e esteja sempre alerta à estrada, principalmente em períodos de muito movimento, e durante à noite, Além disso, não dirija sob efeito de álcool ou de substâncias químicas como drogas e medicamentos que causem sonolência.

O melhor seguro é estar em segurança consigo mesmo.

Para solicitar sua cotação com a Visafran, clique aqui.

 

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

DEIXE UM COMENTARIO!

Deixe uma resposta

Fechar Menu